Passeio ao Zoológico: Sob Outra ótica, sob Outra Ética

in Temas by on outubro 29th, 2011Sem comentarios

“quando se trata de como os humanos exploram os animais,
o reconhecimento de seus direitos requer abolição,
não reforma (…) a verdade dos direitos
animais requer jaulas vazias,
não mais espaçosas”.
(Tom Regan, em Jaulas Vazias)

Como Bióloga e Educadora, sempre acreditei nos Zoológicos como ferramenta deseducativa. Meu repúdio a esse tipo de atividade, fez com que eu me afastasse, durante anos, de uma visita a esses verdadeiros redutos de infelicidade animal. Tive a oportunidade de fazer uma visita técnica a alguns desses redutos recentemente (a menos de uma semana, para ser mais exata).

Assim como a aquários, oceanários, serpentários e afins. Foi umtour dos horrores, considerando toda minha aversão a qualquer forma de confinamento animal para a satisfação de egos humanos. Mas, com o passar do tempo, minha aversão que antes era representada pela negação, foi substituída pela coragem de encarar os fatos como eles são: os animais sofrem. Ao nosso lado. Todos os dias. E nos fazem a todo o tempo, um apelo silencioso. Não é possível ignorar essa realidade pelos melindres de não querer sofrer, de não querer olhar. O sofrimento deles é infinitamente maior.

Leia mais

O último dia de um condenado

in Temas by on outubro 29th, 20111 Comentario

Após uma interminável noite de lembranças e reflexões, infelizmente para mim, o dia amanheceu. Hoje é o último dia de minha vida.
Sei que quando esse mesmo sol que acabara de nascer, se por ao fim do dia, não estarei mais aqui para contemplá-lo e, amanhã bem cedo quando ele voltar a nascer, serei apenas uma lembrança. Não sei como ainda consigo ter forças para fazer esse triste relato.
Há meses estou aqui, condenado à morte por algo que juro que não cometi, mas aqui estou na certeza do cumprimento da sentença que me deram sem que nada eu devesse ou tivesse cometido algum mal para alguém. Tenho a minha consciência tranquila, pois nada de errado eu fiz, mas, aqui estou no aguardo dos instantes finais.

Leia mais

Cachorra morre e menina de quatro anos escreve para Deus

in Temas by on outubro 22nd, 20111 Comentario

Uma criança de 4 anos,chamada Meredith, chorava e comentava sobre a saudade que sentia da sua cachorrinha Abbey.

Não se sabe quem respondeu, mas existe uma belíssima alma trabalhando no arquivo morto dos correios americanos. Abbey, nossa cadelinha de 14 anos morreu no mês passado. No dia seguinte a seu falecimento, minha filha de 4 anos, Meredith, chorava e comentava sobre a saudade que sentia de Abbey. Ela perguntou se poderia escrever uma carta para Deus para que, assim que Abbey chegasse ao céu, Deus a reconhecesse. Eu concordei, e ela ditou as seguintes palavras.

Querido Deus.

O Senhor poderia tomar conta da minha cadela? Ela morreu ontem e está ai no céu com o Senhor. Estou com muitas saudades dela. Fico feliz porque o Senhor deixou ela comigo mesmo que ela tenha ficado doente. Espero que o Senhor brinque com ela. Ela gosta de nadar e de jogar bola. Estou mandando uma foto dela para que assim que a veja, o Senhor saberá logo que é a minha cadela. Eu sinto muita saudade dela. Meredith.

Pusemos num envelope a carta com uma foto de Abbey com Meredith e a endereçamos: Deus – Endereço: Céu. Também pusemos nosso endereço como remetente. Então Meredith colou um monte de selos na frente do envelope, pois ela disse que precisaria de muitos selos para a carta chegar até o céu. Naquela tarde ela colocou a carta numa caixa do correio. Dias depois ela perguntou se Deus já tinha recebido a carta. Respondi que achava que sim. Ontem havia um pacote embalado num papel dourado na varanda de nossa casa, endereçado a Meredith numa caligrafia desconhecida. Dentro havia um livro escrito por Mr. Rogers, intitulado Quando um animal de estimação morre. Colada na capa interna do livro estava a carta de Meredith. Na outra página, estava a foto das duas com o seguinte bilhete:

Querida Meredith,

A Abbey chegou bem ao céu. A foto ajudou muito e eu a reconheci imediatamente. Abbey não está mais doente. O espírito dela está aqui comigo assim como está no seu coração. Ela adorou ter sido seu animal de estimação. Como não precisamos de nossos corpos no céu, não tenho bolso para guardar a sua foto. Assim, a estou devolvendo dentro do livro para você guardar como uma lembrança da Abbey. Obrigado por sua linda carta e agradeça a sua mãe por tê-la ajudado a escrevê-la e a enviá-la pra mim. Que mãe maravilhosa você tem!! Eu a escolhi especialmente pra você. Eu envio minhas bênçãos todos os dias e lembro que amo muito vocês. A propósito, sou fácil de encontrar: estou em todos os lugares onde exista amor.

Com amor, Deus.

Link direto: http://www.lema.not.br/novo.php?id=111011135632

Entenda melhor o seu cãozinho

in Temas by on outubro 15th, 20111 Comentario

Seu bichinho vive bocejando?
Saiba o que isso significa

Preste mais atenção no seu bichinho: os cães se comunicam por meio de posturas corporais
Os cães se comunicam conosco de maneira constante, por meio de posturas corporais. Entender esses sinais nos permite ter uma reação equivalente e ajudar o animal quando necessário. Lembre-se de que os cachorros são muito mais vulneráveis na relação cão-humano do que nós, já que possuem menos controle sobre o que acontece com eles. Os donos devem estar cientes das sensibilidades do cão e fazer todos os esforços para aprender a ler os seus sinais. Confira:

Lambida no nariz
Os cães lambem o nariz quando se sentem sob pressão. Por exemplo: quando estão assustados ou a coleira está prestes a ser colocada.
Bocejos
O bocejo pode ser uma maneira de o cachorro aliviar as tensões. Geralmente, é um sinal de que o cão está ansioso ou aflito.
Segurança
O corpo relaxado e a cauda para cima são sinais de confiança. O cão demonstra sua segurança quando anda tranquilo, com o rabo para cima.
Afastamento

Quando se sente oprimido, o cachorro tenta evitar o dono, desviando a cabeça para o outro lado.
Orelhas baixas
Quando tem uma boa relação com o dono, o cão se sente confiante. Nesses casos, ele demonstra o seu entusiasmo com a cauda para cima e as orelhas baixas. O animal exibe uma expressão relaxada e feliz.

Como evitar cheiro e pelos de animais pela casa

in Temas by on outubro 15th, 20111 Comentario

Ter um cachorro de estimação é muito gostoso! Eles são fiéis, amigos e adoram receber a nossa atenção e o nosso carinho. Mas para que esse convívio seja saudável e agradável, e sua casa fique sempre cheirosa e sem pelos por toda parte, alguns cuidados são importantes.
Antes de qualquer coisa, lembre-se de que educar seu animalzinho desde os primeiros dias dele na casa é fundamental. Ensine tudo que você quiser, desde onde fazer as necessidades até os cômodos aonde ele pode ir. Aja sempre com firmeza, porém sem ser agressivo; isso evita criar um animal medroso! Quando flagrá-lo fazendo algo errado, diga na hora que ele “não pode” e mostre o que é certo. Não se esqueça de que bronca atrasada não funciona com os animais

Para evitar cheiros desagradáveis:
– Como já falamos, é muito importante, desde os primeiros dias, deixar claro quais são os limites do animal, em que cômodos ele pode transitar, onde pode subir ou permanecer. Por exemplo, se você prefere que ele não suba na sua cama, nunca abra uma exceção, colocando-o em cima dela só um pouquinho! Depois pode ficar bem mais difícil modificar esse hábito.
– Se você tiver um filhote de cachorro em fase de aprendizado, leve-o, assim que terminar de comer, até o local onde ele deve fazer as suas necessidades. Em vez de liberar o acesso dele à casa toda de uma vez só, faça isso aos poucos, assim que perceber que ele já consegue voltar ao lugar por você estabelecido.
– Se ele fizer xixi ou cocô no lugar errado, repreenda-o e mostre qual é o lugar certo. Mas não é só isso: é importante também limpar muito bem o local para que ele não repita o erro. Lembre-se de que o cachorro tem um olfato mais sensível que o nosso. Se o local indevido for um tapete, por exemplo, limpe-o bem com álcool ou vinagre branco e cubra-o com um papelão para disfarçar o cheiro por um tempo, até ele ficar mais fraco.
– Dê banhos frequentemente no cachorro. Aproveite esse dia também para lavar ou limpar a caminha dele, assim como os seus brinquedos e cobertores. Se for possível, deixe a caminha e o cobertor algum tempo no sol.
– Lembre: para manter um ambiente saudável, é essencial arejar a casa sempre .
Para evitar pelos pela casa:
– Mantenha a tosa de seu cachorro em dia.
– Se soltar muitos pelos é uma característica da raça, escove-o sempre que puder, no sentido contrário dos fios, para tirar aqueles que já estão soltos. Isso não diminui a queda, mas evita que eles se espalhem pela casa toda.
– Uma boa ração faz parte dos cuidados para melhorar a pelagem do seu cãozinho.
Na hora de tirar os pelos de tapetes, sofás e do chão, o melhor a se fazer é usar o aspirador de pó. E quando for lavar as roupas, não coloque as peças com pelo na lavadora, pois, muitas vezes, eles não saem ou acabam grudando em outras peças. O ideal é escovar as roupas antes de lavar, porque, assim, os pelos se soltam com mais facilidade.
Viu como é bem mais simples que você imaginava?